Uso da tecnologia CFTV auxilia na proteção de mulheres vítimas de violência doméstica.

O Brasil, há tempos tenta-se evitar a reincidência de casos de violência doméstica e está utilizando da tecnologia CFTV para isso. As normas previstas na Lei Maria da Penha não costumam ser efetivas e por este motivo muitos casos de violência ainda são registrados mesmo contra mulheres que já prestaram queixa contra os agressores.

Tecnologia CFTV  auxilia na proteção de mulheres vítimas de violência doméstica.

Tecnologia CFTV auxilia na proteção de mulheres vítimas de violência doméstica.

 

Esta importante tarefa entrou para o plano de ação do Centro de Monitoramento Eletrônico (CMEP) da Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris). Desde o mês de Maio iniciou-se a fiscalização de todos os agressores que cumprem medidas cautelares por violarem a determinação da Lei Maria da Penha. Desta forma, se garante também a segurança das mulheres wp themes agredidas.

Com o projeto ainda no início, o sistema previne qualquer violência contra mulheres que já sofreram com violência doméstica e permanecem sob proteção da justiça. Uma tornozeleira eletrônica limita o raio de distância que deve ser mantido entre agredida e agressor. A mulher recebe um botão do pânico que pode acionar sempre que o indivíduo não cumprir com a distância imposta. Assim, o acompanhamento fica sob cargo do Seris.

Os sinais emitidos pelo equipamento são enviados diretamente à Central de Monitoramento Eletrônico de Presos. O trabalho é realizado 24h por dia. Caso a distância imposta seja desrespeitada ou o botão de pânico seja acionado, a equipe de plantonistas é alertada imediatamente, iniciando procedimentos para garantir a segurança da mulher.

Apesar de ainda estar na fase de testes, o sistema já deu provas de que é eficiente e, caso seja aprovado, garanta a segurança de pessoas agredidas de forma mais eficaz.

Gostou do post e quer saber mais sobre sistemas de segurança? Então clique aqui.